Neste artigo, eu, Cláudio Dias, CEO do Magis5, irei apresentar as dores que o lojista enfrenta ao iniciar seu e-commerce e as dificuldades que aparecem quando seu negócio começa a crescer e você não tem como simplesmente aumentar seus custos operacionais,  com uma equipe maior e precisa diminuir seus prejuízos.

O que se torna necessário a contratação de ferramentas que auxiliam nos processos operacionais e que escalam seu e-commerce. Boa leitura.

Abrir um novo negócio não é nada fácil, certo?

imagem de um notebook sobre e-mail marketing e e-commerce
Um comércio eletrônico possui dificuldades ao lidar com múltiplas tarefas

Começar um negócio não é fácil, independente de qual seja o seu nicho de mercado, a partir do momento em que você decide largar a CLT ou qualquer que seja o seu estado financeiro na ocasião, há muitos custos e decisões a serem tomadas que demandarão muito de seu tempo.

Ao iniciar um empreendimento, era muito comum pensarmos em empresas físicas como restaurantes, padarias, lojas de roupas, entre outros ramos comuns, porém, atualmente o comércio eletrônico vem ganhando cada vez mais espaço.

O que antes era necessário ter mais gastos com aluguel, depósitos, diversas papeladas e muitos colaboradores etc. agora se transformou. Um empreendedor pode começar seu negócio de sua casa e vender seus produtos sem nem mesmo precisar desenvolver um site/e-commerce próprio e gastar tempo e dinheiro.

Contudo, apesar de tais vantagens, ainda há muito para com que se preocupar. A gestão de tempo, por exemplo, é essencial para os vendedores que só tem a si mesmo ou poucas pessoas em sua equipe para realizar múltiplas ações manuais até que seu produto chegue até seu cliente.

E, assim, começa a jornada do empreendedor de ainda estar na CLT enquanto administra sua loja virtual. Os dias ficam mais cansativos e as inseguranças de se tornar seu próprio patrão aparecem. 

Não bastasse esse processo de venda, ainda há que se pensar no pós-atendimento a seu consumidor. Afinal, você não vai querer só vender, é necessário conquistar clientes fiéis que voltarão a comprar com sua loja e, talvez, até recomendar para seus conhecidos.

Neste artigo, irei falar sobre como você pode expandir seu negócio nos canais de vendas que existem atualmente, aumentar seu faturamento, vendas e priorizar seu tempo para gerenciar seu e-commerce através da experiência que tive e de dados importantes para todo gestor. 

Então, se você quer escalar seu negócio e alcançar o objetivo de ter seu e-commerce como sua principal fonte de renda, continue a sua leitura, empreendedor.

Comércio brasileiro: o que mudou nos últimos anos e como as empresas se adaptaram às mudanças?

imagem de um escritório representando como o e-commerce mudou as empresas
As empresas precisaram se adaptar ao longo dos anos para se adaptar ao mercado

O empreendedorismo no Brasil não é algo fácil. O país tem uma série de burocracias que não ajudam aqueles que estão para abrir uma loja, seja ela física, virtual ou ambas, além de custos operacionais elevados e uma cultura de empreender ainda em desenvolvimento.

Por conta dessa dificuldade, os empreendedores que estão começando preferem continuar tanto na CLT como em um comércio próprio para ter renda o suficiente para se manter e manter o seu negócio. Ou, até mesmo, vêem a necessidade de ter uma nova fonte de renda, já que, por conta da pandemia, muitos perderam seus empregos.

Segundo dados do SEBRAE, somente em 2021, mais de 3,9 milhões de empreendedores abriram um novo negócio com o objetivo de serem seu próprio chefe. Desses quase 4 milhões, 80% corresponde à categoria MEI (Micro Empreendedor Individual).

Com esses dados em mente, você pode analisar como o MEI representa a maior parcela de empreendedores que iniciam seus negócios sozinhos ou com pouquíssimas pessoas para lhe ajudar em todos os processos.

Então, ao inserir sua loja em marketplaces, você terá muitas tarefas a realizar, desde publicar anúncios, cadastrar produtos, gerir seus clientes, negociar com fornecedores, entre outras. 

Se somente em uma plataforma, como um Mercado Livre, você terá muito a realizar manualmente, imagina em mais outros canais de vendas? Porém, caso esteja com receio em adentrar em mais marketplaces, a sua loja irá se limitar muito, lojista. 

Nos tópicos a seguir, lhe explicarei o porquê da importância de estar em mais de um marketplace e como gerir melhor seu e-commerce para aumentar sua reputação e escalar suas vendas. 

O meu e-commerce tem que estar em múltiplos marketplaces? 

Nos tópicos anteriores você pôde ver as barreiras iniciais de começar sua própria loja, porém, quando de fato ela está em um marketplace ou até em seu próprio canal de vendas, o que todo lojista espera é que gere retorno e possa a expandir o mais breve possível.

Contudo, não é o suficiente permanecer somente em um canal de venda, já que essa prática faz com que seu alcance para encontrar possíveis clientes diminua. O lojista possui dúvidas comuns nesse processo, como:

  • O porquê da importância de estar em múltiplos canais
  • Como devo começar a integrar
  • Se realmente é necessário na atual situação do meu negócio.

Por que o seu e-commerce deve estar em mais de 1 marketplace?

Estar em diversos marketplaces abre os horizontes onde seu e-commerce pode alcançar e te dará mais vantagens do que somente estar em um o qual você está habituado. A seguir, listei os 3 principais pontos a se considerar:

  1. Maior autoridade para sua marca
  2. Mais oportunidade de vendas
  3. Mais chances de entender seu público
imagem ilustrativa das vantagens de estar em múltiplos marketplaces
Vantagens de seu e-commerce estar em múltiplos marketplaces

1. Maior autoridade para sua marca

Estar presente em mais de um canal de venda é uma das formas mais eficientes de sua marca se tornar mais conhecida e ganhar mais autoridade, mas, claro, se for alinhado às boas práticas e com a menor possibilidade de cometer erros, porém, abordarei essa pauta mais à frente.

Para mostrar a importância de estar em mais de um marketplace para gerar mais reconhecimento de sua loja, basta pensarmos em marcas consolidadas no mercado há anos, como a Coca-Cola.

A Coca-Cola já está há mais de 100 anos no mercado, conhecida não somente por vender um refrigerante de cola, mas por trazer felicidade e uma experiência marcante a quem consome sua bebida gaseificada. Ao longo do tempo já teve muitas identificações visuais e mesmo sendo uma das maiores companhias do mundo, continua a estar presente nos mais diferentes canais de vendas e comunicação.

O caso da Coca-Cola é um importante aprendizado para você refletir que todas as marcas, independente de seu tamanho, precisam fazer manutenção de sua marca e estar presente onde seus clientes estão.

2. Mais oportunidades de vendas

Segundo pesquisas da 42ª edição da Webshoppers realizado pela Ebit | Nielsen, os marketplaces representam cerca de 78% do e-commerce brasileiro B2C, ou seja, vendas para seu consumidor.

Entre os maiores marketplaces do mercado, estão nomes muito reconhecidos como Mercado Livre, Amazon, Magazine Luiza, Americanas, entre outros. Todavia, o que você deve tomar de nota com esses dados é como as vendas nos marketplaces ganham mais espaço a cada ano.

Pode haver o medo de estar em mais de uma plataforma e mesmo assim não vender ou não conseguir ter oferta suficiente para a demanda, porém, para escalar seu negócio você tem que expandir seus canais de vendas, pois principalmente no início de sua loja ter acesso a mais plataformas fará com que seu portfólio de produtos seja entregue a seu cliente ideal.

De tal maneira, com mais vendas, você ganhará mais reconhecimento também para sua marca, mais avaliações e, com as medidas certas, manterá reputação alta nos marketplaces e bons retornos de seus clientes por meio de avaliações, por exemplo.

3. Mais chances de entender seu público 

Além das vantagens principais de estar em múltiplos marketplaces de ter mais reconhecimento de marca e aumentar suas vendas para escalar o seu negócio, ao estar presente em mais canais de vendas te possibilitará conhecer melhor seu público e sua persona.

É claro que, para iniciar uma loja, é importante já ter um conhecimento prévio para quem você irá vender, estimar sua renda, gênero, entre outras características, porém, definir sua persona, que nada mais é que seu cliente ideal, é saber tudo a seu respeito, quais são seus sonhos, dores, hobbies etc. 

Ao vender mais, você terá mais chances de reconhecer para quem deve direcionar melhor seus esforços a partir de estratégias mais assertivas e que lhe façam escalar cada vez mais seu e-commerce.

Atender seus clientes, retirá-los dúvidas, ler e dar feedbacks em suas avaliações, são futuras oportunidades de vendas

Como devo começar a integrar minha loja?

O processo para começar seu e-commerce em diversos marketplaces pode ser exaustivo se for feito manualmente, afinal, você terá que subir todos seus produtos e todos os anúncios em cada site em que sua loja está inserida.

Porém, no tópico anterior você pôde compreender como é importante possuir mais locais para vender virtualmente e para que este processo seja feito é necessário não somente ferramentas para facilitar tarefas manuais — as quais serão citadas mais a frente no artigo —, como também possuir o conhecimento sobre cada marketplace e quais nichos eles melhor alcançam.

É preciso fazer uma análise das plataformas, compreender suas diferenças, como o comportamento do consumidor age em cada um, por exemplo, a Amazon que ao entender a necessidade de seu cliente, fez uma estratégia agressiva de preços no mercado de livros e atualmente se consolida como uma das maiores vendedoras de livros do país

Por fim, com tais informações verá se faz sentido seu e-commerce estar naquele marketplace e, então, fazer a integração.

É realmente necessário estar em mais de um marketplace na atual situação do meu negócio?

Você leu sobre as mudanças do comércio brasileiro e como os negócios migraram para o digital ao longo do anos, principalmente com o avançar da pandemia. 

As incertezas rondam o empreendedor brasileiro e mesmo com os conhecimentos necessários pode continuar o medo de se arriscar a expandir seu negócio e tomar prejuízo.

Contudo, cabe você entender que mesmo os marketplaces possuindo taxas de comissão e gastos com frete, são onde o consumidor busca comprar seus produtos devido a confiabilidade que marcas como Magazine Luiza, Americanas, Mercado Livre, entre outros possuem.

Mesmo se seu negócio ainda está no início, ou com dificuldades com gastos, é válido analisar os pontos já citados anteriormente e estar presente onde seu público está.

Ao estar preparado, você deve estar atento aos principais erros dos lojistas ao estar nos marketplaces.

Erros primários que cada vendedor deve evitar para escalar seu negócio

imagem de um empreendedor com um notebook
Fique atento as estes erros comuns que podem afetar seu e-commerce

Crescer sua loja e ter mais pedidos são passos importantes para conseguir aumentar seu faturamento e garantir que seu comércio eletrônico seja sua principal fonte de renda. Todavia, para que seu e-commerce obtenha sucesso nos marketplaces, você tem que evitar erros frequentes que ocorrem ao longo do crescimento de seu negócio, como:

  1. Dificuldade ao criar anúncios em diferentes plataformas
  2. Problemas ao precificar seus produtos
  3. Gestão de estoque
  4. Problemas com expedição
  5. Muitos gastos com mão de obra 

1. Dificuldade ao criar anúncios em diferentes plataformas

Para criar anúncios o lojista precisa se preocupar com títulos e descrições que se adequem ao marketplace em que está inserido e persuadir sua persona com estratégias certeiras. Ao estar em mais de uma plataforma de vendas, você tem que adaptar cada um de seus anúncios para as especificidades que ela possui.

Contudo, realizar cada uma dessas etapas se torna exaustivo a partir do momento em que sua loja está em múltiplos marketplaces, mas somente se você optar por fazer tudo de forma manual e subir cada anúncio em cada canal de venda ao pensar nas individualidades dos sites.

De tal maneira, não é viável realizar essas tarefas manualmente se você precisa otimizar seu tempo e focar em outras áreas de sua loja para que ela escale

Por conta dessas dificuldades, muitas empresas de tecnologia e gestão desenvolvem mais ferramentas que podem te auxiliar a automatizar esses processos exaustivos e diminuir drasticamente os erros que podem ocorrer por divergências de informações em cada marketplace.

2. Problemas ao precificar seus produtos

Precificar seus produtos incorretamente é um erro grande, que custará prejuízo para sua loja, e, como consequência, você não terá como investir em novas estratégias que farão o seu negócio crescer, pois estará estagnado com os custos dos produtos.

Cada marketplace possui taxas de comissão que podem interferir no preço do seu portfólio de produtos, e você precisa fazer esse cálculo pensando nessas taxas, que podem ser fixas ou percentuais, e a sua margem de lucro desejada.

Leia mais sobre em: Precificação de produtos: como precificar seu e-commerce de forma efetiva?

Apesar de ter todos os preços em mente, o erro de precificar é comum, afinal, o lojista não possui uma equipe grande para realizar cada tarefa e necessita de estar de olho em outras áreas de sua empresa em cada marketplace que está inserido.

Para ter acesso a uma planilha gratuita de precificação que te ajudará a vender mais nos marketplaces clique aqui.

3. Gestão de estoque

imagem representando um estoque de um e-commerce
A má gestão de estoque é um dos principais erros ao iniciar um negócio

Ter uma gestão de estoque organizada e monitorar quais produtos você possui, quais estão para acabar e quais já foram vendidos é muito importante para conseguir manter uma reputação alta nos marketplaces.

Pense bem, seria muito frustrante para um cliente comprar um produto que deseja muito e depois receber a mensagem que o produto se esgotou depois que ele já havia finalizado a compra.

Há uma possibilidade alta de erros como esse acontecer se o lojista faz esses processos de forma manual e está tendo uma alta demanda de pedidos. 

Agora, imagine ter que realizar tudo sem padronizar seus produtos? O SKU, basicamente, é um código para facilitar a sua gestão de armazenagem e na separação de categorias e grupos de seus produtos, o que é essencial ao estar em marketplaces e ter controle sobre a entrada e saída de produtos.

Com o SKU é mais simples automatizar esses processos com as ferramentas certas, e você poderá investir em melhores estratégias para gerenciar seu estoque e potencializar seu faturamento.

4. Problemas com expedição

Os marketplaces valorizam cada vez mais uma entrega rápida e no prazo para seus clientes, e, caso não ocorra, eles irão afetar o posicionamento das suas lojas parceiras e sua reputação.

De acordo com o PROCON-SP, em 2020 houve um aumento de 285% nas reclamações de compras online em relação ao ano de 2019, e os principais problemas apontados foram atrasos ou não entrega de mercadorias

Por conta da pandemia, houve um aumento nos pedidos online, e muitas empresas não estavam preparadas para suprir essa demanda, o que indica que é necessário ter uma preparação para gerir sua expedição e garantir um bom atendimento a seus clientes.

Para ter uma expedição rápida e manter uma alta reputação, você precisa ser honesto com seus prazos, pois vale muito mais a pena não frustrar seu cliente ao estimar a entrega do produto até dia X e eles receberem bem depois.

Os próprios marketplaces possuem sistemas logísticos para lojas de alta reputação em suas plataformas, as quais entregam em prazos mais rápidos, como o Mercado Envios Full, do Mercado Livre.

Porém, na prática, pode se tornar uma tarefa complicada se você está no início de sua loja e é importante conseguir automatizar esses processos para que seus erros diminuam e sua reputação se mantenha alta.

5. Muitos gastos com mão de obra

Ter mais colaboradores para sua empresa, significa que ela está tendo mais tarefas a serem realizadas, porém, é preciso analisar se o custo da mão de obra é realmente necessário e se essas funções que você irá delegar podem ser realizadas através de ferramentas que automatizam os processos de seu e-commerce.

Nem sempre ter uma equipe maior, com mais quantidade de pessoas, significa que terá mais qualidade em seus processos e maior crescimento do desempenho de seu comércio digital, principalmente se você está adentrando agora em mais canais de vendas.

Em resumo, o lojista tem que se perguntar se aquelas tarefas podem ser feitas de maneira automatizada ou realmente necessitam de alguém para geri-las, dessa forma, você valorizará melhor os seus investimentos.

Quais ferramentas do mercado podem impulsionar seu negócio e otimizar seu tempo?

imagem de um notebook com ferramentas que auxiliam no e-commerce
Ter ferramentas é essencial para priorizar seu tempo e conseguir escalar sua loja

Você já leu neste artigo sobre o quão sua loja pode perder por ficar refém de somente um marketplace e quais os erros mais comuns na gestão do seu e-commerce. Agora é necessário entender melhor sobre as ferramentas que citei ao longo do texto que podem potencializar o desempenho da sua loja.

Os ERPs e hubs de integração e automação são os seus aliados a partir do momento que você decide vender online, independente se você ainda tem uma demanda de 5 pedidos por semana, pois seu objetivo é crescer e aumentar vendas, então, porque não estar pronto para quando vir?

Estar já com ferramentas que economizam seu tempo, que estão integradas em muitos marketplaces e que automatizam processos que levariam horas do seu dia é colocar o crescimento do seu e-commerce como prioridade.

Afinal, você irá poder desenvolver estratégias e trazer um bom atendimento ao cliente por meio de uma entrega eficaz, rápida e com produtos de qualidade.

As ferramentas de integração e automação possuem as seguintes vantagens:

  • Melhor controle de seu estoque
  • Automatização de expedição
  • Impressão de notas fiscais e etiquetas automaticamente
  • Gestão em múltiplos marketplaces
  • Cadastro e precificação de produtos em diversos marketplaces

Esses são alguns dos exemplos das funcionalidades que podem oferecer, porém, lojista, você deve pesquisar sobre cada um para ver qual hub ou ERP melhor se adequa ao seu e-commerce.

Não é necessário você ter diversas ferramentas, afinal, os seus gastos irão aumentar. Possuir uma que supri as necessidades de seu e-commerce ao automatizar, integrar e que está nos marketplaces que se alinham a sua loja, será o bastante para que seu negócio escale.

Não pense somente em curto prazo, mas também em como eles podem potencializar seu negócio a crescer a médio e longo prazo.

Para saber mais a diferença entre cada, recomendo a leitura: Qual é a Diferença entre um ERP e Hub de Integração

Quer ter acesso a mais conteúdos ricos que farão seu e-commerce escalar e te dar mais oportunidades de aplicar estratégias assertivas? Assine nossa newsletter e veja uma variedade de assuntos relacionados ao mercado digital e marketplaces.

Comentários

Claudio Dias

Claudio Dias

Cláudio é Co-founder e CEO do Magis5 e possui vasta experiência em varejo e e-commerce. Agora, está construindo uma startup para revolucionar o ecossistema de e-commerce brasileiro com estratégias inovadoras e que mudam a vida de outros empreendedores.